Enviado em 16.10.2019

Percentil 95

O Percentil 95 é um cálculo matemático amplamente utilizado para avaliar o uso regular e sustentado de links de comunicação de rede.

O Percentil 95 é um cálculo matemático amplamente utilizado para avaliar o uso regular e sustentado de links de comunicação de rede. O método reflete mais de perto a capacidade necessária do link em questão do que o rastreamento por outros métodos, como taxa média ou máxima. Os bytes que compõem os próprios pacotes, na verdade, não custam dinheiro, mas o link e a infraestrutura necessárias apresentam custos operacionais em termos de pessoal, configurações e suporte. Esse método de cobrança é comumente usado em acordos de emparelhamento entre redes corporativas, mas também tem sido usado por ISP’s, na cobrança de links de trânsito IP.

O Percentil 95 é um método de medição do uso da largura da banda excedente, que permite ao cliente estourar por um intervalo de tempo a capacidade do seu link contratado, dando ao fornecedor do serviço uma capacidade de escalar seu faturamento com o custo da infraestrutura e de trânsito menos comprometida. O Percentil 95 tem como objetivo encontrar um meio termo entre a escalabilidade, volatilidade e o custo para o fornecedor e o cliente.

O Percentil 95 permite que um cliente experimente uma pequena explosão no seu tráfego sem cobrança adicional. Este método estabelece que, em 95% das vezes, o uso é em torno ou abaixo do valor especificado. Por outro lado, em 5% do tempo, o uso pode ser estourado além desta taxa. Esse percentual explica-se levando em consideração que a maioria das redes de telecomunicação é superprovisionada, geralmente deixando espaço para algumas falhas sem planejamento avançado (portanto cobrança faturável). Ignorar os 5% principais das amostras é algo razoável na maioria dos casos (daí o Percentil 95).

Um fator importante de mal entendimento é a semelhança do Percentil 95 com a média de uso de largura de banda. O Percentil 95 não é uma média. O Percentil 95 representa o valor que sua largura de banda está acima ou abaixo 95% do tempo. O percentil 95 permite que um cliente tenha um curto tempo (menos de 36 horas, dado um período de cobrança mensal) estourar o tráfego sem cobranças adicionais (em 95% das vezes, o uso é igual ou inferior a esse valor. Por outro lado, 5% das amostras podem estar acima dessa taxa).

O intervalo de amostragem, ou com que frequência as amostras (ou pontos de dados) são coletados, é um fator importante no cálculo do percentil. Na maioria das vezes, a medida é feita de N em N minutos (normalmente de 5 em 5). Portanto, a cada 5 minutos, o circuito é amostrado pela quantidade total de bytes transferidos. As amostragens são recolhidas a cada 5 minutos e são armazenadas numa base de dados. Cada amostragem representa a largura de banda média usada durante o intervalo e é calculado como o número de bits transferidos ao longo do intervalo dividido pela duração do intervalo (por exemplo, 300 segundos). O valor resultante representa a taxa média de uso para um único intervalo de amostragem e é expresso em bits por segundo. Quando o mês é longo, os dados são organizados de cima para baixo com o top 5% de pontos de dados sendo ignorado. Os dados mais altos subsequentes mostrados depois disso tornam-se o Percentil 95 médio.

Uma medição realizada através do Percentil 95 que ocorre a cada 5 minutos representa um uso de banda média durante aquele intervalo (quantidade de bits transferidos divididos pelo intervalo de tempo – 300 segundos). Durante 1 mês (considerando 720 horas) existem 8640 intervalos de 5 minutos. 5% dessas medições, ou seja, os 432 maiores intervalos são desprezados para o cálculo final. O próximo resultado mais alto é o levado em consideração para a cobrança. 5% das medições ao longo de um mês correspondem há aproximadamente 36 horas.

Usando esse método, as 36 horas principais (5% principais das 720 horas) de pico de tráfego não são levadas em consideração quando cobradas por um mês inteiro. A largura de banda pode ser usada a uma taxa mais alta por até 72 minutos por dia, sem custo financeiro. Por outro lado, se o pico de tráfego aparecer apenas por um breve instante e nenhum tráfego adicional for gerado, o valor do faturamento poderá ser substancialmente maior que o faturamento de uso médio.

Muitos fornecedores usam apenas o sistema de taxa fixa ou o uso da taxa de transferência média em vez do Percentil 95. Ambos os métodos favorecem usuários com grande consumo. Outros utilizam a cobrança por byte de dados transferidos, o que pode permitir mais precisão. Vantagens para quem compra está no uso mais flexível do link de trânsito IP em momentos de necessidade ou de emergência sem a necessidade de entrar em contato com o NOC ou o Gerente de Contas para solicitar aumento temporário da porta. Para quem vende, a expectativa de faturamento extra do cliente, sendo uma boa alternativa além do modelo de venda flat. Para ambos, tem-se a possibilidade de atendimento pontual da demanda sem necessidade de renegociação contratual com o upstream.

Comentários