Enviado em 14.08.2019

Análise de Eventos na Curva do OTDR

Neste artigo apresentamos os principais eventos que podem ocorrer na curva, quais os tipos de eventos e como o OTDR detecta estes eventos.

O OTDR OT-8516-PO da Overtek é um equipamento dinâmico, de alta tecnologia e precisão, utilizado no processo de certificação de redes de fibra óptica. Para o seu correto uso e compreensão, é necessário saber interpretar os eventos exibidos em seu gráfico, comumente chamado de curva.

Neste artigo apresentamos os principais eventos que podem ocorrer na curva, quais os tipos de eventos e como o OTDR detecta estes eventos.

Eventos na curva

A fim de facilitar o seu entendimento, abaixo mostramos os principais eventos que podem ser apresentados na curva:

1 – Curva Normal

Uma curva normal, como a mostrada acima, tem a marcação A sendo o pico inicial e a marcação B sendo o pico final de reflexão. O rastro testado é oblíquo, a perda total se tornará maior com o aumento de comprimento da fibra. A perda total (em dB) divide o comprimento total e é sua média de perda (dB/km) da fibra.

2 – Curva com alinhadores/conexões

Caso haja picos de reflexões adicionais no rastro testado, os mesmos podem ser causados por pontos de conexões ou algum outro motivo. De qualquer forma, a aparência do pico de reflexão mostra que as duas superfícies estão conectadas suavemente (quanto mais suave a superfície da conexão for, maior o pico de reflexão será).

Por exemplo, se uma fibra óptica rompida estiver sobre teste, o rastro do OTDR mostrará um ponto de rompimento. Depois da manutenção desta via de fibra rompida, poderá ser observado um pico de reflexão, substituindo o ponto de rompimento no rastro do OTDR: mostrando que a manutenção terá sido finalizada.

3 – Curva com ponto de rompimento

Se o rastro testado estiver como na figura acima, um dos seguintes eventos pode ter ocorrido: má conexão entre os conectores e a porta de lançamento; o pulso óptico não conseguiu ser enviado na porta óptica; há um ponto de rompimento muito próximo na fibra que está sendo testada na conexão inicial; ou, as configurações de distância ajustadas e a largura do pulso é maior do que deveria ser.

Para que o problema seja sanado:

  1. Verifique atentamente as conexões dos conectores e porta de lançamento;
  2. Limpe os parâmetros de teste realizando o reset (diminua a distância pré-ajustada e a largura de pulso);

Se o problema persistir, podemos concluir que:

  1. O conector da fibra sendo testada está quebrado ou poluído;
  2. A porta de lançamento da OTDR está quebrada ou poluída com sujeiras (isto interfere na leitura);
  3. O ponto de rompimento da conexão inicial está em uma distância muito próxima.

4 – Curva sem eventos refletivos

Existe um fenômeno comum em que é exibido um degrau no meio do rastro da fibra testada, que geralmente é causado por curvaturas excessivas da fibra, nós na fibra, a fibra ser pressionada por algo muito pesado ou um ponto de fusão da fibra óptica. O degrau pode causar grandes perdas na fibra, e também é chamado de ponto de evento. Se a direção do rastro continuar para baixo, pode ser chamado de um evento não-refletivo. Se a direção do rastro for para cima, pode ser chamado de evento refletivo.

Algumas vezes, o valor da perda pode ser um valor negativo, o que não significa que a perda não exista. É um fenômeno comum chamado “pseudo-ganho”, e é causado por uma conexão de duas fibras com coeficiente de dispersão de retorno diferentes, o coeficiente de dispersão da fibra de retorno é maior do que da fibra de entrada. Em adição, a taxa de refração diferente também pode causar este fenômeno. Para evitar o mesmo, a fibra pode ser testada bidirecionalmente.

5 – Condição anormal

A situação em que não há picos de reflexão no final de um rastro de fibra, como mostrado acima, deve gerar atenção. Se a distância da fibra testada estiver disponível e a distância exibida no OTDR não for igual a distância original, pode significar um rompimento de fibra ou um enrolamento da mesma, em que o raio de curvatura está acima do limite. A distância exibida no OTDR é a posição do ponto de falha.

Esse fenômeno é muito utilizado em manutenções. Para que se haja certeza, pode-se curvar uma fibra além do raio de curvatura permitido, e então utilizar o a função de teste em tempo real do OTDR para confirmar a fibra.

6 – Distância muito longa

Esta circunstância pode ocorrer em testes de longa distância, e é causada pela faixa dinâmica do OTDR estar abaixo do alcance, fazendo com que a energia do mesmo não suporte transmissões de longa distância, ou é causado pelos parâmetros ajustados na configuração do OTDR estarem abaixo do alcance de distância ou abaixo da largura do pulso correspondente ao atual comprimento da fibra.

Para evitar esta situação, altere a configuração da distância de teste e aumente a largura do pulso para estender o tempo de curva.

Tipos de eventos

Os eventos mostrados na curva são todos os pontos em que o valor de perda de luz flutua anormalmente. Geralmente o traço contém vários tipos de conexões e curvaturas, rachaduras, rompimentos e etc. Os pontos de evento marcados no traço com marcações especiais são pontos anormais em uma fibra que causam alteração em um traço normal.

Os eventos podem ser divididos entre evento refletivo e evento não-refletivo.

Início de evento

O evento inicial é o ponto inicial em uma curva do OTDR. Nas opções padrões, o evento inicial está localizado como o primeiro evento do traço (geralmente é a conexão entre a porta de lançamento da OTDR e o conector da fibra). É um evento refletivo.

Fim de evento

O evento final é o ponto final da fibra em uma curva do OTDR. Nas opções padrões, o evento final está localizado como o último evento (geralmente é a ponta final ou um ponto de rompimento da fibra). Geralmente, é um evento refletivo.

Evento refletivo

O fenômeno em uma curva em que parte da luz do pulso óptico é refletido é chamado de evento refletivo. Um evento refletivo é mostrado como um pico de sinal no rastro.

Evento não-refletivo

O fenômeno em uma curva em que existe uma perda anormal de luz na fibra óptica, mas não há reflexão, é chamado de evento não-refletivo. Ele é mostrado como uma queda sem picos de sinal no traço.

Detecção de eventos

O OTDR envia vários pulsos ópticos na fibra que está sendo testada, recebe o sinal de volta e começa a calcular a distância que um evento ocorre. Quanto maior for a distância do evento, maior será o tempo de retorno. De acordo com o tempo de retorno, o valor da distância será calculada. Detectando o traço que é gerado pelo retorno do sinal óptico, os atributos da fibra, os conectores da fibra, adaptadores na fibra e os pontos em que existem fusões na fibra podem ser confirmados.

Cassio Chikora – Assistente de TI na empresa KAMIDE & KAMIDE.

Comentários