Enviado em 12.09.2018

Entender do Negócio x Entender de Negócio

Entender DO Negócio e Entender DE Negócio, qual a diferença? Uma única letra é capaz de mudar todo um contexto.

A algum tempo gostaria de escrever sobre este tema, mas me faltava insights para descrevê-lo de uma forma que fixasse na cabeça dos leitores. Recentemente li um livro, “O mito do Empreendedor, Michel Gerber” que tratou de uma forma ampla e clara a abordagem que sempre procurei dar sobre o assunto. O que descreverei neste artigo é uma forma sintética de como o autor coloca seu pensamento e eu o adaptei para o cenário dos Provedores de Internet.

A grande maioria das pequenas empresas normalmente não funcionam de forma eficaz, apesar de que seus empresários trabalharem duro demais. Não se trata de pouco trabalho, mas sim do trabalho executado de forma errada, e como resultado estas pequenas empresas em sua grande maioria acabam no caos, não sendo gerenciáveis, imprevisíveis e com poucos resultados.

Pensando como empresário, uma empresa é um negócio onde se investe um dinheiro para se tirar dali, em um prazo factível, uma rentabilidade daquele capital investido. Mas para o cenário das pequenas empresas isso não é verdade. Quando montamos um negócio, na grande maioria das vezes não somos empresários, e sim técnicos. O técnico monta o negócio porque entende daquele negócio, daquela atividade. No caso dos provedores de internet, hoje aqueles que se tornaram empreendedores e empresários em sua grande maioria vieram da área técnica. É a tendência em entender DO negócio é muito grande, e a cada vez o técnico se dedica cada vez mais em entender DO negócio. Normalmente estas pessoas gostam muito do que fazem, e buscam se especializar com treinamentos e capacitações voltadas para tal. Todo este conhecimento e dedicação a área técnica faz com que estas pessoas se aprofundem ainda mais neste setor, pois ele acredita que ninguém conseguirá executar melhor do que ele aquelas atividades que necessitam serem realizadas na empresa.

O conhecimento técnico, ao contrário do que muitos imaginam, não é o único problema. Todo aquele que entra no mundo dos negócios deveria levar com si três pessoas em sua essência, o empreendedor, o administrativo e o técnico. O problema do nosso segmento, das empresas que não decolam, está justamente aqui, não damos a mínima importância para o nosso lado de empreendedor e do lado administrativo. Se as três personalidades não receberem as mesmas oportunidades dentro de si e da empresa, fatalmente esta empresa viverá em um eterno desequilíbrio. Não ha ninguém no mundo que consiga fazer tudo sozinho, então vai ter um momento que você vai precisar de mais pessoas com capacidade para lhe apoiar. Mais ainda, ser um técnico excelente não garantirá que você tenha uma empresa excelente. Conheço alguns casos onde a empresa depende tanto do empresário, que ele deixa de ser realmente um empresário da empresa e passa a ser um empregado da situação.

Quando digo que deveríamos levar internamente em nossa essência as três pessoas, o empreendedor, o administrativo e o técnico, justifico o título deste artigo. O técnico entende DO negócio, enquanto o empreendedor e o administrativo entendem DE negócio.

Entender DE negócio normalmente é a parte que não nos chama tanto a atenção, pois foge do assunto técnico. E se não é técnico não gostamos. Entender DE negócio é utilizar o lado administrativo e empreendedor que deveríamos possuir para gerir o negócio.

Entender DE negócio é: entender DE lucro; entender DE mercado; entender DE estratégia; entender DE venda; entender DE financeiro; entender DE compra; entender DE projetos; entender DE planejamento; entender DE tributação; entender DE controle; entender DE indicadores; entender DE marketing; entender DE resultados; entender DE gente.

Quando temos que passar a entender mais DE negócio do que DO negócio, o trabalho dentro da empresa passa a ser mais intelectual do que operacional. Somos obrigados a abandonar o operacional e focar no pensamento estratégico e estrutural da empresa. Desta forma necessitamos a cada dia mais ter um modelo que seja replicável dentro da estrutura acerca de conseguirmos esta alteração de posicionamento.

Desta forma, mudando o pensamento de entender mais DE negócios do que DO negócio você e seu time começarão a trabalhar mais para a empresa, para que a empresa cresça e se solidifique, do que muitos negócios que vejo por ai, onde existem centenas e dezenas de pessoas que somente trabalham na empresa.

André Ribeiro – É Engenheiro de Telecomunicações e atua como Consultor a 8 anos no mercado de Provedores de Internet. Sua atuação é focada na Gestão, Estratégia e Modelamento de Negócios de provimento de internet e redes de telecom.

A Revista do Provedor!
Fornecemos conteúdo de qualidade, especializado, produzido por grandes nomes do setor de telecomunicações, e tudo isso gratuitamente por meio das mais de 2 mil publicações impressas por edição, além da versão online.

Comentários