Enviado em 13.04.2018

Dimensionamento de Infraestrutura para Cabos

Por diversas vezes precisamos consultar uma tabela para saber quantos cabos cabem em uma tubulação ou eletrocalha.

Olá pessoal, hoje vou dar uma dica para a turma de projetos. Por diversas vezes precisamos consultar uma tabela para saber quantos cabos cabem em uma tubulação ou eletrocalha. Apesar de termos sempre à mão um Smartphone ou um computador para buscar tal informação na Internet, como saberemos se podemos confiar ou não no resultado da pesquisa? Sabemos que o mundo da Redes Mundial de Computadores pode nos ajudar ou nos “jogar no buraco” nos mais diversos assuntos, não é mesmo? Por isso, ao pesquisar procure ficar atento à fonte de pesquisa. Mas, essa não é exatamente a dica que quero passar hoje, quero mostrar como se chegar aos resultados da tal tabela citada se não a tiver em mãos, portanto, vamos lá…

O que precisamos saber é como determinados cabos ocuparão um determinado tipo de infraestrutura e, para isso, vamos partir para um exemplo prático. Considere cabos UTP Categoria 6 que farão o cabeamento horizontal de uma certa empresa para um local específico, digamos que com pouco mais de 200 pontos de rede. Logo, em função da quantidade de cabos, nos resta utilizar eletrocalhas, ou um bandejamento de forma geral, seja de material liso, perfurado ou aramado. O que temos agora definido é um formato geométrico retangular (ou quadrado, como queiram) de onde conseguimos extrair a área da seção deste objeto. Ou seja, como calculamos a área do quadrado? Simples, né?! A famosa “base x altura”. Agora ficou fácil, se eu utilizar uma eletrocalha de, por exemplo, 200 x 100 mm (usei esta medida de propósito porque já sei o resultado…) para os 200 cabos será que dá? A resposta é sim, mas como saberemos?

A área resultante da seção da eletrocalha é 20.000 m², certo? E, para entender como os 200 cabos caberão, teremos que saber a área, ou a seção que os cabos ocupam. Bem, é simples também. Volto a pergunta, qual é a área de um cabo? Ora, um cabo tem sua seção circular, não é? Logo, qual é a área da circunferência?

Ac = π . r2
Onde “r” é o raio da circunferência do cabo UTP Cat. 6, cujo raio é aproximadamente 3 mm, teremos a área da seção do cabo:

Ac = π . 32=28,26mm2

Nesse momento temos duas informações, área das seções da infraestrutura e do cabo. Se dividirmos a área da infraestrutura pela área do cabo teremos quantos cabos caberiam na eletrocalha, ou seja, algo próximo a 707 cabos. Como assim, caberiam? Sim, é porque a relação não é direta, e é neste ponto que alguns cometem erros. Segundo a norma ABNT NBR-16.415:2015 (Caminhos e Espaços para Cabeamento Estruturado) em seu anexo B, a área ÚTIL de uma infraestrutura, seja ela retangular ou circular, é de apenas 40%, o que representa a quantidade máxima admissível de cabos na infraestrutura.

Sendo assim, se a área calculada da eletrocalha havia sido de 20.000 mm², agora ela passa a ter 8.000 mm². E, 8.000 dividido pela área da seção do cabo (28,26 mm²) restarão 283 cabos. Ou, se preferir, utilize o resultado dos cálculos sem os 40%, ou seja, qual o resultado de 40% de 707? Os mesmos 283 cabos.

Convido os mais curiosos para fazerem uma experiência. Façam um teste com uma eletrocalha de 50 x 50 mm (ou qualquer outra) e preencha a mesma com a quantidade de cabos resultante dos cálculos sem considerar os 40% e depois me falem o resultado.

Resumo da ópera, se não tiver a tabela em mãos para fazer seu projeto, CALCULE!

Notas:

1 – Cada cabo possui seu diâmetro (ou raio) próprio e pode ter pequenas variações entre as diferentes marcas existentes no mercado.

2 – Este exemplo pode ser aplicado às tubulações, desde que adequando à fórmula da circunferência para a infraestrutura. No mais, a analogia é exatamente a mesma.

 

Reinaldo Vignoli é Engenheiro Eletricista, formado pela PUC/MG em 1994, possui MBA em Gerenciamento de Projetos, especialista em Projetos de Infraestrutura Física de Redes e Professor Universitário. Vignoli também é consultor e projetista, ministra treinamentos técnicos de cabeamento estruturado e redes ópticas e é colaborador da norma de cabeamento estruturado ABNT NBR 14565:2013, além de produtor de conteúdo sobre cabeamento em mídias sociais.
Site: www.rvconsultoria.com.br

Comentários