Enviado em 10.11.2017

Falando sobre Cabos

No mundo das telecomunicações a escolha de um cabo é primordial para o bom funcionamento de um sistema. Este cabo pode ser óptico ou metálico ou, ainda, a combinação dos dois o que, em geral, ocorre nas redes internas.

No mundo das telecomunicações a escolha de um cabo é primordial para o bom funcionamento de um sistema. Este cabo pode ser óptico ou metálico ou, ainda, a combinação dos dois o que, em geral, ocorre nas redes internas. Externamente, a preferência da maioria é pelas fibras ópticas, principalmente pela capacidade que possuem em termos de largura de banda, taxas de transmissão, imunidade eletromagnética, área de cobertura, dentre outros. Porém, não podemos menosprezar o que os cabos de pares metálicos podem nos proporcionar com custos, muitas vezes, inferiores às soluções ópticas, não apenas pelo cabo propriamente dito, mas pela solução como um todo. Os cabos coaxiais são, por sua vez, bastante utilizados já que possuem uma excelente largura de banda e foram desenvolvidos para proporcionar uma boa proteção contra ruídos de ordem elétrica.

Qual  cabo escolher?

Bem, a escolha do cabo passa por alguns requisitos, como:

  • O que irá trafegar pelo cabo: voz, dados, sinalização, vídeo, ou tudo isso e mais;
  • A velocidade em que se deseja transmitir a informação;
  • Por onde o cabo irá passar: subterrâneo, aéreo, submarino, áreas muito quentes ou muito frias, umidade;
  • Qual distância a ser percorrida pelos sinais: poucos metros, vários quilômetros;
  • Áreas com exposição à ruídos eletromagnéticos.

Se a necessidade é de transmitir, por exemplo, voz analógica ou digital convencional podemos usar um cabo telefônico de pares trançados ou cabos coaxiais. Se a voz for via IP, o cabo já não pode ser o mesmo, deve-se usar um cabo óptico ou um cabo de pares trançados blindado ou não, STP ou UTP, respectivamente, ou seja, sendo necessária a transmissão de pacotes de dados, como o VoIP, só nos resta o uso destes.

No caso específico de cabos de pares trançados para ambiente externo temos algumas limitações, sendo as mais importantes:

  • Distância limitada a 90 metros entre as suas conexões, podendo acrescer até 10 metros de patch-cords;
  • Instalação externa demanda cabos blindados: F/UTP ou S/FTP (no próximo post esclarecerei a diferença entre eles);
  • Instalação externa de cabos blindados demanda um bom sistema de aterramento.

Para a transmissão de dados e qualquer outro tipo de informação a longas distâncias e com alto desempenho, as fibras são a melhor opção. Veja um pouco mais sobre este tópico em outro post meu com o título: “Como escolher o cabo óptico do seu projeto”, aqui no blog.

A escolha correta do cabo é tão importante quanto os equipamentos que serão instalados na rede da empresa, deve haver uma sinergia nas escolhas, pois não adianta instalar um cabo CAT 6A, o qual permite transmissões em 10Gbps até 100 m (incluindo os patch-cords) se os equipamentos são Gigabit Ethernet. Por outro lado, um equipamento para 10Gbps não conseguirá um desempenho com tal velocidade, em 100 metros, se o cabo for, por exemplo, CAT 6.

Cuidado para “não usar um canhão para matar uma formiga” como acontece muitas vezes, pois isso pode pesar no bolso, entretanto, não deixe de pensar no futuro. Lembre-se que vivemos tempos de grandes mudanças em pouco espaço de tempo!

Reinaldo Vignoli é Engenheiro Eletricista, formado pela PUC/MG em 1994, possui MBA em Gerenciamento de Projetos, especialista em Projetos de Infraestrutura Física de Redes e Professor Universitário. Vignoli também é consultor e projetista, ministra treinamentos técnicos de cabeamento estruturado e redes ópticas e é colaborador da norma de cabeamento estruturado ABNT NBR 14565:2013, além de produtor de conteúdo sobre cabeamento em mídias sociais. Site: www.rvconsultoria.com.br

Comentários