Enviado em 01.11.2017

Participação dos ISP´s nos processo de inclusão digital

Inclusão digital é o nome dado ao processo de democratização do acesso às tecnologias da informação, de forma a permitir o acesso de todos na sociedade da informação.

Hoje em dia podemos dizer que estamos presenciando o início de uma nova era, na qual as pessoas se conectam umas às outras por meio de computadores. A internet é um sistema global de redes de computadores que utiliza protocolos de comunicação com o objetivo de servir usuários do mundo inteiro. A internet traz uma extensa gama de recursos de informação e serviços disponíveis a qualquer usuário que possua um acesso.

Inclusão digital é o nome dado ao processo de democratização do acesso às tecnologias da informação, de forma a permitir o acesso de todos na sociedade da informação. A inclusão digital simplifica a rotina diária, maximiza o tempo e aumenta as potencialidades para que seja possível a melhora das condições de vida.

Para existir a inclusão digital das pessoas, é necessário a junção de três fatores: Dispositivo para conexão, acesso à Rede e domínio das Ferramentas de Navegação.

Trocando em miúdos, além de possuir um dispositivo para conexão e dominar as ferramentas para navegação, todas as pessoas deveriam ter um acesso à rede.

Aí que entra a participação dos ISP’s, pois muitas vezes temos a missão de chegar sempre em locais “onde ninguém está” ou chegou ainda. Sabemos que as grandes operadoras muitas vezes não têm interesse em atender usuários das localidades remotas, seja aquele distrito do seu município ou vilarejo, onde não pega celular nem telefone fixo.

Devemos ter em mente que a mesma infraestrutura que construímos para atender os nossos clientes, pode ser utilizada para o bem-estar dos habitantes do local, devolvendo assim, um pouco do que se recebe com o trabalho suado. Desta forma, pode-se unir o útil ao agradável, melhorar a imagem da sua empresa junto à comunidade local e também colher frutos, disseminando um tipo de marketing institucional.

Uma forma interessante de realizar implantações em locais remotos é através da cessão de infraestrutura em troca de benefícios, seja pelo uso de uma infraestrutura (instalação de Pontos de Acesso em caixa d’água de escola, por exemplo), ou em troca de uma conexão de rede para os alunos. Pode-se também buscar acordos com associações comunitárias em troca de propagandas em eventos, como almoços e jantares beneficentes ou simplesmente pela cessão de local para instalação de placa com propaganda da empresa.

As ideias aqui citadas são realidade em alguns locais, onde o empresário veste a camisa da comunidade, conhece as necessidades dos habitantes e participa da vida social do local.      Desta forma, podemos afirmar que temos a oportunidade de melhorar a vida das pessoas por meio do acesso à informação, que na minha humilde opinião, é o bem mais valioso que podemos possuir.

Eloi Piana, Engenherio Eletricista formado pela Unioeste, diretor da empresa Instelpa Engenharia Elétrica, profissional certificado em projeto e execução de redes ópticas.

A Revista do Provedor! Fornecemos conteúdo de qualidade, especializado, produzido por grandes nomes do setor de telecomunicações, e tudo isso gratuitamente por meio das mais de 2 mil publicações impressas por edição, além da versão online.

Comentários