Enviado em 13.09.2017

Indicadores de desempenho: Não se gerencia o que não se mede

O melhor dos mundos seria conseguir implantar dentro de nossas empresas um sistema de inteligência de negócio, mais conhecido como BI (Business Intelligence).

Não se gerencia o que não se mede…

Não se mede o que não se define…

Não se define o que não se conhece…

Não há sucesso no que não se gerencia.

Edwards Deming (célebre consultor americano)

Não há sucesso no que não se gerencia. Se você não acompanha os números da sua empresa, é provável que o sucesso esteja um pouco mais distante de você do que daquele que tem a empresa na palma da mão. De posse de números confiáveis, estatísticos e temporais, a sua capacidade de tomar ação dentro da sua empresa se torna muito mais fácil e realista.

Não se define o que não se conhece. Conhecimento é a base de tudo. E aqui talvez seja o principal ponto de falha dos provedores de internet. Conhece-se bastante da parte técnica e muito pouco dos números relevantes para a gestão da empresa. Você já se perguntou, qual é o meu lucro? Qual a taxa de retorno do meu investimento? Está realmente compensando investir neste segmento? Capex ou Opex, qual a melhor alternativa para a minha empresa? Creio que muitas vezes, você mesmo tenha ficado sem resposta alguma. Até hoje, em alguns anos de consultoria, foram poucas as empresas que cheguei e que tinha algum número relacionado a gestão. Como não se conhece esses números, fica extremamente difícil dimensionar e estabelecer metas e objetivos para a empresa.

Não se mede o que não se define. Se eu não conheço, não posso definir. Se não tenho definido o que eu preciso medir,  como posso estabelecer alguma meta? Como vou traçar objetivos para alcançar estas metas?

O melhor dos mundos seria conseguir implantar dentro de nossas empresas um sistema de inteligência de negócio, mais conhecido como BI (Business Intelligence).

Mas o que é BI? BI é o processo de transformar dados em informação através da descoberta de transformar informação em conhecimento.

Motivos para se querer um aplicativo com Business Intelligence:

  • Melhoria contínua do negócio;
  • Decisões de negócio mais precisas e mais ágeis;
  • Pró-atividade;
  • Responder a perguntas como: “para onde vamos? ”
  • Integrar e compartilhar as informações para melhorar a qualidade e produtividade dos serviços prestados ou produtos ofertados.

Sistemas tradicionais chamam de B.I. os geradores de relatórios ou dashboards estáticos e momentâneos. Não podemos nos esquecer que B.I. é temporal e justamente isso faz dele uma ferramenta com informações tão assertivas e confiáveis. Os dashboards momentâneos não dão suporte real a tomada de decisão ágil.

Com B.I. é possível:

  • Entender os indicadores chave de performance do negócio;
  • Identificar tendências e problemas;
  • Identificar comportamentos que precisam ser previstos;

No mercado de telecom temos diversos indicadores estratégicos que podem significar uma grande diferença para o provedor:

  • Crescimento real ao longo do tempo;
  • Taxa de rejeição por região, por plano, por tecnologia;
  • Margem de lucro por plano;
  • Tempo médio de atendimento;
  • Tempo de indisponibilidade por região, por plano, por tecnologia;
  • Taxa de conversão em campanhas de marketing;
  • Taxa de conversão em campanhas de cobrança;
  • Taxa de produtividade por equipe;
  • Taxa de consumo de gasolina por equipe;
  • Taxa de penetração de planos, por bairros, por região;
  • Taxa da inadimplência por bairro, por região.

Enfim, são tantas as variáveis que são possíveis seus cruzamentos, e através destas conseguimos conhecer e gerenciar melhor a nossa empresa.

Principais diferenças entre aplicativos tradicionais e aplicativos de B.I.:

Mas vá com calma. É interessante e importante pensar neste assunto, pois somente assim você conseguirá crescer com sua empresa.

Mas um sistema de BI não é algo simples e nem tão fácil de se implementar. Busque no mercado profissionais que realmente tenham know-how no assunto para você poder trazer para dentro da sua empresa. Pois, se não for um projeto bem pensado e bem elaborado, ao invés de ser uma solução, será mais um problema que você terá que gerenciar daqui a alguns meses.

André Ribeiro é Engenheiro de Telecomunicações e atua como Consultor a 8 anos mercado de Provedores de Internet. Sua atuação é focada na gestão, estratégia e modelamento de negócios de provimento de internet e redes de telecom.

 

A Revista do Provedor!
Fornecemos conteúdo de qualidade, especializado, produzido por grandes nomes do setor de telecomunicações, e tudo isso gratuitamente por meio das mais de 2 mil publicações impressas por edição, além da versão online.

Comentários