Enviado em 26.07.2017

Vai continuar fazendo mais ou menos?

Resolver um problema aqui ou outro ali não significa que tenha adquirido a competência sobre o que se faz ou foi feito porque não atinge à raiz do entendimento que é o SABER ou CONHECIMENTO.

O ano de 2016 foi um ano bem complicado, não foi?  O cenário político, socioeconômico, desemprego, recessão…. De fato, a crise deu tanto desânimo ao brasileiro que a motivação para fazer algo melhor e diferente foi cedida ao espaço de fazer as coisas de qualquer e do jeito que dava, ou seja, “mais ou menos”!

Ouvi um religioso falando exatamente sobre isso: “mais ou menos daqui é colher mais ou menos ali”.  Automaticamente, refleti o que nossos provedores regionais têm feito, e não é que a resposta que veio à mente foi: “mais ou menos”.

Claro que temos um grupo de empresários e colaboradores empenhados em manter suas operações 24 horas por dia, mas vemos também que as maiores dificuldades estão aparecendo para gerenciar o negócio com todas as suas particularidades que não está só na entrega da conexão.  Quando conversamos sobre planejamento, padronização, qualidade de atendimento, qualidade de vendas, gestão de recursos e por aí vai… (diga-se de passagem, que esse questionamento não afasta o principal de um provedor, que é o técnico-operacional) é que são feitos “mais ou menos”, em outras são “mais para menos” e, por fim, outras são “bem para menos”.

Agora, pense comigo!  Quando temos um planejamento mais para menos, com uma equipe de vendas mais ou menos (ou não), com técnicos bons que se relacionam com o cliente mais ou menos…  Compramos de nossos fornecedores com valores mais ou menos, pagamos mais ou menos… e assim vai!

Ora com essa quantidade de “mais ou menos” ao nosso redor, só seremos desafiados quando tivermos que ser competentes para cuidar de nossos clientes.

Competência é uma derivação da palavra em latim que significa competere que quer dizer aptidão para cumprir uma tarefa ou função.  Por sua vez, até pela realidade de muito de nossos provedores que foram crescendo com a velocidade da demanda, fomos colocando pessoas, mais ou menos, para atender, instalar, cobrar, programar…  E quantas vezes o caminho do ENTENDER fica na esfera das opiniões, ou seja, mais ou menos assim:  _ “veja lá com alguém que “manja” e que resolva o problema o mais rápido possível”.  É ou não é assim?

Resolver um problema aqui ou outro ali não significa que tenha adquirido a competência sobre o que se faz ou foi feito porque não atinge à raiz do entendimento que é o SABER ou CONHECIMENTO.

Precisamos avaliar e inverter a ordem das coisas começando a migrar imediatamente esse “mais ou menos” para o “mais e melhor”.  Então, faça a mesma reflexão que fiz:  Dá para fazer mais com o pensamento, a atitude, as pessoas agindo “mais ou menos”?

Pois bem, estimados amigos leitores, a mudança que estamos acompanhando no setor de provedores regionais de internet já está batendo à porta exigindo que as ações sejam planejadas, organizadas, implementadas e medidas com frequência.  Executada por profissionais dispostos a realizarem com motivação, entusiasmo, alegria e definitivamente, competência os seus serviços.

Claro que não temos a pretensão de que a realidade mude assim, num piscar de olhos!  Precisamos investir tempo e recursos com capacitação, recrutamento e programa de melhoria contínua.

Sobretudo, acho que um pouco mais que a nossa reflexão, podemos reunir as pessoas que estão conosco nesta missão e lançar o desafio de acabar com o “mais ou menos”.

Aceitam o desafio?

Vamos deixar o “mais ou menos” para os preguiçosos.

Forte abraço.

Rogério Couto, possui sólida experiência com mais de 20 anos em áreas comerciais e estratégicas de empresas de médio e grande porte, nacionais e multinacionais no mercado de telecomunicações, segurança eletrônica e Indústrias eletrônicas. Atuou o mercado de varejo de serviços com foco na gestão de pessoas, abastecimentos e gestão de performances de canais diretos e indiretos de vendas. Foi executivo da VIVO na gerência de vendas de Canais Indiretos, da ADT Security do grupo Tyco Internacional, da ABSYS Tecnologia e Oneti Tecnologia. Formado em Direito e MBA de Gestão Empresarial pela UNITAU e Filosofia pelo IAE. É fundador da RL2m – Consultoria e Treinamento, Consultor e Instrutor para Desenvolvimento Comercial e Qualidade do Atendimento. Instrutor na Primori e na Voz e Dados Cursos.

A Revista do Provedor!
Fornecemos conteúdo de qualidade, especializado, produzido por grandes nomes do setor de telecomunicações, e tudo isso gratuitamente por meio das mais de 2 mil publicações impressas por edição, além da versão online.

Comentários