Enviado em 08.07.2016

Processos de emendas em fibras ópticas

Os processos de emendas ópticas não são simples e nem se comparam com as emendas de cabos metálicos, os procedimentos exigem preparo e cuidado para a sua execução. Conheça alguns dos processos empregados para emendas de fibras ópticas.

As emendas ópticas são necessárias para ampliar ou dar continuidade a um lance óptico permanentemente quando o comprimento do sistema é maior que o comprimento contínuo do cabo disponível, para permitir a inserção de novos componentes ópticos ao sistema, ou na ocorrência de ações corretivas devido a rompimentos.

Os processos de emendas ópticas não são simples e nem podem ser comparados com as emendas de cabos metálicos. Os procedimentos existentes exigem preparo e cuidado para a execução das emendas em fibras ópticas. Antes de executar-se uma emenda é necessário trabalhar nas extremidades das fibras ópticas. Os processos empregados para emendas de fibras são, de uma maneira geral os seguintes:

Emenda por Fusão

Utilizando-se um equipamento específico (máquina de fusão) é executada a emenda entre duas fibras ópticas (Figura 1). Neste tipo de emenda a fibra limpa e clivada é introduzida na máquina de fusão para, após o procedimento de alinhamento apropriado, ser submetida a um arco voltaico que eleva a temperatura nas faces das fibras, o que provoca seu derretimento e a sua soldagem. O arco voltaico é obtido a partir de uma diferença de potencial aplicada sobre dois eletrodos de metal.

 

protetor_de_emenda

Figura 1 – Emenda por fusão

A resistência mecânica no ponto de emenda é menor do que a da fibra inteira. Por esse motivo utiliza-se um protetor de material termocontrátil no local da emenda para prover uma melhor resistência mecânica (Figura 2).

proteção-de_emenda

Figura 2 – Protetor de emenda por fusão

Emenda Mecânica

Este tipo de emenda é baseado no alinhamento das fibras através de estruturas mecânicas. São dispositivos dotados de travas para que a fibra não se mova no interior da emenda e contém líquidos entre as fibras, chamados líquidos casadores de índice e refração, que tem a função de diminuir as perdas de Fresnel (reflexão). As fibras são encaixadas nas fendas de precisão do dispositivo, dispensando a utilização de microscópio para efetuar o alinhamento das pontas das fibras (Figura 3).

emenda mecânica

Figura 3 – Emenda mecânica

Neste tipo de emenda, as fibras também devem ser limpas e clivadas e as duas fibras são alinhadas (posicionadas frente a frente), visando não causar perdas no feixe óptico (Figura 4). Normalmente é aplicada em caráter provisório até que se possa proceder à emenda definitiva por fusão.

Aspecto da emenda mecânica

Figura 4 – Aspecto da emenda mecânica

Emenda por Acoplamento ou Conectorização

 

Na extremidade da fibra é colocado um conector óptico e entre esses conectores é encaixado um acoplador (adaptador) óptico para que se torne possível o alinhamento entre as duas fibras (Figura 5).

Aspecto da emenda por acoplamento (ou conectorização)

Figura 5 – Aspecto da emenda por acoplamento (ou conectorização)

Comentários